Autor Tópico: Equilibrio dinamico  (Lida 5446 vezes)

ROGER MORGAN

  • Visitante
QUESTÃO DE CALENDÁRIO
« Responder #15 em: 07 de Abril de 2004, 17:00 »
Que pena! mas para mim, está de facto "out" das folhas do meu calendário.....:[upss]  mais lenha para a fogueira :[fixe]  


Woody PT

  • Visitante
Re: QUESTÃO DE CALENDÁRIO
« Responder #16 em: 07 de Abril de 2004, 17:28 »
:lol  :lol

O AE86 tornou-se de facto um carro "mitico" mas apenas para três tipos de pessoas:

- Quem os teve ou tem.

-Quem passou pela adolescencia com a "febre" dos carros  em meados dos 80s (o meu caso).
Todos se lembram do "Twin Cam", um Coupé baixinho (para a época), o primeiro carro a ver-se em Portugal com spoiler de sére (acessorio de competição, na altura), com uns autocolantes atrás a dizerem "GT Twin Cam 16" e velocimetro a indicar 240Km/h.
Isso impressionou muitos putos, que paravam de cada vez que viam um (sendo eu um deles).

- Quem frequenta forums da web dedicados a carros (desenvolveu-se um culto enorme recentemente).



É simplesmente um carro excelente e hiper divertido para o preço, e para a época, nada mais. Não é nada do outro mundo.

Eu sou fan fervoroso do meu AE86 em particular.
Se ainda tivesse o meu Escort não sei se trocaria. ;)



Nuno, polir julgo estar fora de questão por causa da oxidação. Algum revestimento teria que levar sempre (daí eu pensar em pintar. Envernizar terá sempre o problema referido da falta de uniformidade, com o consequente desiquilibrio).


Eu levantei esta questão por recentemente, em conversa, ter falado da situação em que o veio de transmissão se parta em andamento (implica a completa destruição do carro, fora os ocupantes).
Por esse motivo, muitos camiões levam uma corrente em redor do veio - se partir não cai á estrada.

Fui ficando a magicar nisso e veio o pânico.

Entretanto fui sentindo mais forte a folga que normalmente existe na transmissão (ao tirar o pé ou ao carregar depois de andar "á vela", sente-se uma folga, mas isso em qualquer RWD).
Recentemente (até pode ser por sugestão), reparo que ao desacelerar, mantendo o carro embraiado, ele perde velocidade "aos soluços", o que me está a deixar deveras preocupado (pode até ser da caixa, que está uma miséria).

Em aceleração não se sente puto.


Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9006
    • Ver Perfil
Re: QUESTÃO DE CALENDÁRIO
« Responder #17 em: 07 de Abril de 2004, 17:33 »
Concordo contigo quanto ao mito do AE 86, não sendo nada do outro mundo é fantástico para curtir.


Relativamente ao pânico que possas sentir, devido á eventualidade da quebra do veio, acho que não tem muita razão de ser. Se controlares o estado do veio de transmissão com regularidade, se lhe fizeres a manutenção/lubrificação normal, acho que tens aí material para o resto da vida...

Já agora, e se me permites, deixo-te aqui um conselho. Muda os cardans (cruzetas de transmissão) e volta a montar no carro sem mais alterações. Tenta aperceberes-te das diferenças que isso implicou, depois, se for caso disso, fazes o resto.

Old Jap's never die...'cos some clotheads keep bodgin' 'em back together...

Edited by: nunoturbo at: 7/4/04 14:59
Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

ROGER MORGAN

  • Visitante
Vou confessar
« Responder #18 em: 07 de Abril de 2004, 20:55 »
... que já me sucedeu desapertar o veio entre a caixa e o diferencial que passa mesmo ao lado da minha perninha num tunel de chapa de tipo flandres.

Resultado, parar rapidamente e tentar perceber o que se passou. Nada mais grave que a base do banco em madeira partida, tunel de chapa para o bate chapa e pintura e ainda refazer o banco e colocar "off the original" uma contraporca em cada um dos 4 parafusos.

Então mais uns euros à frente (nessa altura eram contitos) e pronto para as voltas.....:[drive]  


ROGER MORGAN

  • Visitante
RWD
« Responder #19 em: 08 de Abril de 2004, 01:13 »
Quote:
Entretanto fui sentindo mais forte a folga que normalmente existe na transmissão (ao tirar o pé ou ao carregar depois de andar "á vela", sente-se uma folga, mas isso em qualquer RWD).


Normalmente não existe folga nenhuma na transmissão dos RWD quer nos actuais quer no velhotes - eu tenho dois exemplos disso lá em casa.

Por acaso sentes uma pancada metálica quando arrancas ou desaceleras bruscamente?

Se sim pode então ser diferencial, o contacto do pinhão de ataque com a roda de croa. Aí tens de ir ao "dentista" tratar dos "dentes" e pensa em ver os rolamentos que são sempre carotes.

Primeiro faz o que o Nuno te disse: desmonta tudo, muda cardans+cruzetas e vê o eventual empeno no veio, monta tudo, vê o alinhamento e dá uma volta.

Aí já deves estar com o problema resolvido. Depois então desmonta e aplica as tuas vaidades que quizeres e podes calibrar o conjunto.

Aconselho a não reduzir o diâmetro do veio, esses aligeiramentos rapam com o coeficiente de segurança do cálculo da transmissão e conduzem, ou melhor, podem conduzir a gastos e a problemas futuros.

Depois é só :[drive] :[drive]  


Woody PT

  • Visitante
Re: RWD
« Responder #20 em: 08 de Abril de 2004, 17:08 »
Reduzir o diametro do veio???
Nem pensar.
Além de acreditar nos calculos dos engenheiros que projectaram o carro, como já disse não pretendo competir com ele. Não tenho qualquer interesse no que iria ganhar com isso.


Quanto a desmontar, verificar, montar e depois colocar como deve ser, pra mim é complicado.
Por não ter garagem, uma intervenção dessas terei que "mandar" fazer.
Como normalmente ando sempre em cima da intervenção, quando entrego o carro numa oficina, tenho que ter a certeza daquilo que quero, daí as minhas questões.



Eu não ouço a pancada metalica, mas sinto sempre uma ligeira folga ao tirar e ao carregar (principalmente) no acelerador, especialmente em baixas velocidades (tipo fila de transito, em primeira).
Mas sempre senti isso em todos os RWDs que tive :pensador]

Mas o meu medo é justamente esse:
O partir ou soltar do veio.
Não me passa ao lado das pernas pois aí ainda é a caixa (no meu), mas basta bater no chão, que a 80Km/h já deve dar para um "salto com vara" valente.

É essa imagem que me assusta...


Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9006
    • Ver Perfil
Re: RWD
« Responder #21 em: 08 de Abril de 2004, 17:14 »
Quote:
É essa imagem que me assusta...


Woody... sem dramatismos, é certo que seria uma situação de muito perigo, mas quantos casos desses é que conheces?


Quanto á montagem e desmontagem do veio acho que essa é daquelas operações que se pode fazer até na rua, o mesmo já não se pode dizer quanto á substituição dos cardans/cruzetas...

Old Jap's never die...'cos some clotheads keep bodgin' 'em back together...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Woody PT

  • Visitante
Re: RWD
« Responder #22 em: 08 de Abril de 2004, 17:33 »
Bem...
Por acaso nenhum, mas também não gostaria de conhecer o meu.
Basta ter consciencia que é possível para não me conformar enquanto não fizer nada (eu sou mesmo cagarolas, há 15 anos que trabalho com electricidade e electronica e não troco uma lampâda sem desligar o quadro nem mexo num cinescopio sem o descarregar - sou gozado pelo exagero :o).


Também por isso é complicado trabalhar na rua.
Eu não me meto debaixo de um carro só sobre o macaco.
E mesmo em cavaletes, se há um parafuso mais teimoso, faço os possíveis por não estar debaixo dele quando faço força (não imaginas a ginastica e jogos de alavancas que isso implica :lol ).


Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9006
    • Ver Perfil
Re: RWD
« Responder #23 em: 08 de Abril de 2004, 18:14 »
Uma das formas de incrementares substancialmente a segurança do veio de transmissão é pores umas contra-porcas nos parafusos do veio, se possível freiadas.

Assim, o teu único receio só se poderá prender com uma quebra do veio propriamente dito, o que acho que podes minimizar com inspecções periódicas e manutenção cuidada ao mesmo!

Old Jap's never die...'cos some clotheads keep bodgin' 'em back together...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

RROGER MORGAN

  • Visitante
Sugestão
« Responder #24 em: 09 de Abril de 2004, 05:29 »
Bem acho que estando preocupado com a quebra do veio, coisa muito pouco provável que aconteça, estuda a hipótese de fazeres uns suportes que soldados ou aparafusados à carroçaria te garantam que o veio a partir fique retido e não caia e "empine" (penso ser esta a tua preocupação).

No entanto isso é muito pouco provável que aconteça e só terá perigo se partir do lado da frente e ficar sustentado pela parte de trás.


Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9006
    • Ver Perfil
Re: Sugestão
« Responder #25 em: 09 de Abril de 2004, 05:44 »
De certeza que te minimizaria os riscos de uma forma substancial!

Old Jap's never die...'cos some clotheads keep bodgin' 'em back together...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Woody PT

  • Visitante
Re: Sugestão
« Responder #26 em: 09 de Abril de 2004, 09:18 »
Mas isso seria cair no exagero.

Por isso é que eu acho que manter o veio equilibrado já minimiza os riscos de forma substancial.

Era só mesmo essa a minha idéia... :(  


ROGER MORGAN

  • Visitante
Re:
« Responder #27 em: 09 de Abril de 2004, 16:50 »
Óh pá queres que te diga que deves e é fundamental fazer a calibragem dinâmica? Ok faz lá a calibragem.

Diverte-te e aprecia a vida sem medos, e enquanto é tempo, pois ela é sempre curta.:[fixe]

Mensagem do purista radical e exagerado......:[tolo]  


E21Craze

  • Visitante
Re: Re:
« Responder #28 em: 18 de Abril de 2004, 17:34 »
Ois.

Desculpem a intromissão (não tenho nenhum carro japonês antigo). Mas quanto a equilibrar o veio, existe uma garagem aqui perto (Lourosa) que faz isso de certeza. Os veios dos camiões da empresa onde trabalho vão todos lá. Têm máquina própria, electrónica pelo que ouvi dizer.

Woody, se quiseres a gente pode dar lá uma saltada. Ou falo com um amigo meu para passar por lá e deixar o veio.  

Inté,

Paulo



RWD Forever
"The only difference between an E21 and drugs is that you can quit drugs"