Autor Tópico: Toyota Prius - A Surpresa das Surpresas  (Lida 7389 vezes)

Offline PedroXXL

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 345
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
Re: Prius, carro do ano 2005
« Responder #15 em: 22 de Novembro de 2004, 20:42 »

http://www.toyota.pt/showroom/prius/kce_4.html">

http://www.toyota.pt/showroom/prius/kce_4.html


Nota: Escolham os diferentes modos de condução ex.: arranque, condução, ultrapassagem etc….

           e reparem no diagrama de interligação dos motores.

Pedro Leal


Offline Microsurfer

  • Nivel 4
  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 912
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
Re: Prius, carro do ano 2005
« Responder #16 em: 30 de Novembro de 2004, 06:20 »
O carro so peca quanto a mim pelo aspecto, parece-se com
um monovolume. mas quanto à tecnologia... os premios falam
por si!:[fixe]  


Offline CelicaGTI

  • Nivel 4
  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 1384
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
Re: Prius, carro do ano 2005
« Responder #17 em: 22 de Fevereiro de 2005, 23:53 »
Toyota Prius 2005







MOTOR
Tipo        1.5 VVT-i
Número de cilindros        4 em linha
Mecanismo de válvulas        DOHC 16 válvulas, VVT-i
Sistema de injecção        EFI, Injecção Electrónica de Combustível L-Jetronic
Cilindrada (cc)        1497
Diâmetro x curso (mm)        75.0 x 84.7
Taxa de compressão        13,0
Potência máxima (CV(kW)/rpm)        77(57)/5000
Binário máximo (Nm/rpm)        115/4000
Motor eléctrico - Tipo        Íman permanente, motor síncrono
Motor eléctrico - Voltagem avaliada (V)        500
Motor eléctrico - Potência máxima (CV(kW)/rpm)        68(50)/1200-1540
Motor eléctrico - Binário máximo (Nm/rpm)        400/0-1200
Motor eléctrico - Peso (incluíndo transmissão) (kg)        104
Bateria híbrida - tipo        Hidreto metálico de níquel
Bateria - Voltagem (nominal) (V)        201.6
Bateria - N.º de módulos        28
Bateria - Capacidade (Ah/horas)        6.5/3
Bateria - Peso (kg)        39




TRANSMISSÃO
Tracção        Às rodas dianteiras
Tipo        Transmissão Variável Contínua Controlada Electronicamente (E-CVT)

PERFORMANCE
Velocidade máxima (km/h)        170
Aceleração 0-80 km/h (seg)        7.4
Aceleração 0-100 km/h (seg)        10.9
Aceleração 0-120 km/h (seg)        15.1
Aceleração 0-140 km/h (seg)        22.6
Aceleração 0-160 km/h (seg)        34.0
Recuperação 60-100 km/h (seg)        7.2
Recuperação 80-120 km/h (seg)        8.4
Coeficiente aerodinâmico (Cd)        0.26

CONSUMO
Combinado (l/100 km)        4.3
Extra urbano (l/100 km)        4.2
Urbano (l/100 km)        5.0
Combustível aconselhado        gasolina, 95 octanas (ou mais)
Capacidade do depósito de combustível (l)        45
Emissão de CO2 - ciclo combinado (g/km)        104
Emissão de CO2 - ciclo extra urbano (g/km)        99
Emissão de CO2 - ciclo urbano (g/km)         115
Norma de emissão de gases        Euro IV
Emissões de Monóxido de carbono, CO (g/km)        0.18
Emissões de Hidrocarboneto, HC (g/km)        0.02
Emissões de Óxido de azoto, NOx (g/km)        0.01
Emissões de Hidrocarboneto, HC e Óxido de azoto, NOx (g/km)        0.00
Emissões de Partículas, PM (g/km)        0.00




TRAVÕES
Dianteiros        Travões de disco ventilados de 14'' (255mm)
Traseiros        Travões de disco maciços de 14'' (269mm)

SUSPENSÃO
Dianteira        Estrutura MacPherson
Traseira        Eixo de torção

PNEUS
Dimensão das jantes        Jantes em alumínio de 16''
Dimensão dos pneus        195/55R16

DIMENSÕES
Comprimento exterior (mm)        4450
Largura exterior (mm)        1725
Altura exterior (mm)        1490

PESOS
Tara (kg)        1300-1325
Peso bruto (kg)        1725
Capacidade da bagageira (l)        408

GARANTIA E MANUTENÇÃO
Garantia mecânica (anos)        3 ( 8 anos para os componentes do sistema híbrido)
Garantia mecânica (km)        100.000 (160.000 km para os componentes do sistema híbrido)
Garantia sobre a carroçaria e pintura (anos)        3
Garantia sobre perfuração por corrosão (anos)        12
Serviço completo de manutenção (anos)        2
Serviço completo de manutenção (Km)        30.000
Serviço intermédio de manutenção (anos)        1
Serviço intermédio de manutenção (km)        15.000


Proprietários famosos

Ed Begley, Jr.
Jackson Browne
Steven Collins
Ted Danson
Larry David
Cameron Diaz
Leonardo DiCaprio
Jeff Goldblum
Richard Kline
Donna Mills
Alexandra Paul




Curiosidades:
A tecnologia Hybrid Synergy Drive do novo Toyota Prius é a  última versão desta tecnologia pioneira que fez do Prius o porta-estandarte dos veículos híbridos, desde o seu lançamento em 1997.  Um novo Inversor/Conversor aumenta a bateria de alta voltagem para 500V,  enquanto o o motor gasolina 1.5l VVT-i contribui com  78 CV para um total de 110 CV. Esta tecnologia inovadora possibilita uma elevada capacidade de resposta e potência superior em qualquer circunstância.




Considero estas linhas melhores que as anteriores




-----------------------------------------------
V Encontro Informal AJA Sul - dia 27 de Fevereiro

V Encontro Informal AJA Norte - A combinar em Março.


Offline CelicaGTI

  • Nivel 4
  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 1384
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
Re: Prius, carro do ano 2005
« Responder #18 em: 23 de Fevereiro de 2005, 00:09 »
Mais curiosidades:

Imagem demonstrativa da filosofia HSD



Test Drive:


Consumos Americanos:  :lol





-----------------------------------------------
V Encontro Informal AJA Sul - dia 27 de Fevereiro

V Encontro Informal AJA Norte - A combinar em Março.


Offline CelicaGTI

  • Nivel 4
  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 1384
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
Re: Prius, carro do ano 2005
« Responder #19 em: 23 de Fevereiro de 2005, 00:44 »

Toyota Prius VS Honda Civic IMA


Com as preocupações ambientais a crescerem de tom e a consciência pública cada vez mais alerta em relação aos efeitos nefastos da poluição, é bom saber que há marcas de automóveis apostadas em lançar veículos «ecológicos», com baixo nível de impacto no meio ambiente. Toyota Prius e Honda Civic IMA são exemplos de como os carros também podem seguir uma política «verde»: estes dois familiares consomem gasolina, mas socorrem-se da energia eléctrica para promover uma redução drástica nos gastos de combustível e nos efeitos poluentes ? quanto menos queimarmos, menores serão as quantidades de resíduos largados pelo escape. E não precisam ser ligados à corrente...
A diferença entre estas propostas reside no respectivo grau de sofisticação. O Civic IMA usa um bloco 1.3 a gasolina (utilizado na gama Jazz) que tem acoplado ao veio de saída um pequeno motor eléctrico, para compensar o característico défice de binário a baixos regimes dos propulsores de combustão interna. A electricidade serve-lhe apenas de auxiliar à locomoção. O mesmo não se passa no Toyota, em que a energia eléctrica assume, muitas vezes, o papel principal. O Prius é uma máquina mais complexa, com um circuito de alta tensão e um repartidor de potência que decide qual será a origem do movimento: o motor 1.5 a gasolina, o eléctrico (50 kW) ou a conjugação de ambos. E até é possível seleccionar o modo EV (Electric Vehicle), que nos permite fazer até perto de três quilómetros sem gastar pinga de gasolina!

É por tudo isto que, mesmo depois de consideradas as benesses fiscais de que ambos beneficiam (redução de 40% no imposto automóvel), o Prius custa mais 5650 euros que o Civic IMA Exclusive...



Carroçaria

À discrição e elegância do IMA (em quase tudo igual aos outros Civic), o Prius contrapõe um desenho estranho, digno de figurar num filme de ficção científica. Talvez por isso, o Toyota é o mais eficaz na luta contra o vento, com um coeficiente de penetração aerodinâmica de 0,26 (0,28 para o Honda).

As baterias do IMA ficam dissimuladas nas costas do banco traseiro, roubando volume para as bagagens (342 litros). A quinta porta do Prius melhora bastante o acesso à mala, que é maior que a do Civic em 66 litros. Existe um fundo para arrumações sob o piso e, ao contrário do Honda, é possível rebater os bancos traseiros.

A garantia geral de três anos não é novidade em marcas nipónicas, mas os oito anos que cobrem qualquer tipo de anomalia nos componentes eléctricos mostram o empenho da Honda e da Toyota na promoção destes modelos.

ESP e cortinas insufláveis são importantes equipamentos de segurança de que o Prius dispõe, mas que não pode encontrar no Civic, nem como opção. ABS, airbags frontais e laterais e fixações Isofix são dispositivos comuns.



Habitáculo

Também por dentro, o Prius escapa às convenções. Em vez da chave, tem um botão para a ignição e os usuais comandos da caixa e do travão-de-mão desapareceram, dando lugar a um pequeno selector para a transmissão automática e a um pedal para o travão de estacionamento. A ampla superfície vidrada ilumina o interior extremamente espaçoso e com laivos de monovolume, devido aos pilares A muito avançados. O ambiente high-tech que se vive a bordo deve-se, em grande parte, ao painel de instrumentos digital e ao ecrã de sete polegadas sensível ao toque, a partir do qual podemos monitorizar o computador de bordo e o circuito energético do sistema híbrido, bem como regular o auto-rádio e a climatização.

O Honda é bem mais «convencional» no modo como nos acolhe. O seu único «devaneio» são os gráficos digitais que nos indicam o funcionamento do sistema IMA. O Civic é um competente carro familiar, com espaço de sobra e bancos dianteiros mais confortáveis que os do seu rival. E, de um modo geral, consegue ser mais silencioso que o Prius, porque este torna-se mais ruidoso sempre que o motor a gasolina é chamado a intervir.

Ar condicionado automático, leitor de CD e comandos eléctricos para vidros e retrovisores estão presentes nos dois carros. O Prius diferencia-se pela transmissão automática e pelo volante multi-funções, ao passo que o Civic Ima Exclusive traz estofos em pele e bancos dianteiros aquecidos, além de que a pintura metalizada é um opcional a custo zero.



Dinâmica

Facilmente nos habituamos à condução do Honda. Tem comandos leves, boa visibilidade e um pisar muito confortável, com as suspensões independentes a cumprirem o seu serviço na busca do melhor conforto. O Civic IMA é solícito quando rodamos a rotações muito baixas, o motor eléctrico imprime algum «músculo» ao 1.3 a gasolina e deixa-nos acompanhar o trânsito em baixos regimes. Sentimos essa ajuda nos instantes iniciais de uma recuperação, mas nos momentos de maior pressa, o binómio 1.3 a gasolina/motor eléctrico mostra-se fraco para locomover o Civic. E o sistema de travagem regenerativa gera alguma estranheza, porque assim que travamos, o motor eléctrico passa a gerar atrito (serve de dínamo para carregar as baterias) e obriga-nos a aliviar, logo de seguida, a pressão exercida no pedal.

A utilização do Prius consegue ser ainda mais descontraída e intuitiva, muito por culpa da transmissão automática (o Civic usa uma caixa manual) e de uma dupla de motores que é bem mais eficaz e solícita, sem deixar de se mostrar sedosa na forma como entrega a potência. O Toyota, tal como o Honda, traz uma afinação geral mais orientada para o conforto e é estável q.b. a lidar com as curvas ? embora o tacto dos comandos seja artificial. O repartidor de potência faz uma gestão criteriosa do sistema híbrido de modo a que o Prius seja rápido a responder aos nossos intuitos, com as recuperações a mostrarem-se muito vigorosas. Mesmo no modo eléctrico (EV), conseguimos arrancar com prontidão e sem empatar o trânsito.



Economia

As preocupações ambientais destes dois modelos revelam-se nas pequenas doses de resíduos (provenientes da queima do combustível) que lançam para atmosfera. Ainda assim, o Toyota é o que menos polui e afirma-se como o recordista dos carros a gasolina (104 g/ km de dióxido de carbono, contra 116 g/km do Honda).

IMA e Prius registam valores de emissões poluentes tão baixos porque gastam muito pouco, o que se deve ao auxílio dos motores eléctricos. Até aos 50 km/h, o Prius pode rolar alguns quilómetros em modo EV, o que o torna muito poupado em cidade ? sempre que estiverem parados, os motores destes carros desligam-se, poupando algumas gotas de gasolina. A média ponderada (5,2 l/100 km) é ainda mais competitiva que a do IMA, que registou 6 l/100 km.

No cômputo geral, e sem retirar mérito ao Civic IMA, a prestação do Prius é notável e só é possível pelo seu elevado teor tecnológico, o que se reflecte na factura. A Toyota comercializa este híbrido por 28 250 euros, uma cifra que supera o preço do Honda em mais de 5000 euros! Mas, mesmo penalizado por esse enorme fosso monetário, o Prius é o melhor carro «ecológico» que o dinheiro pode comprar, sendo o digno vencedor deste duelo. E, desde que se restrinja a uma destas propostas, a Mãe Natureza e as gerações vindouras agradecem a sua escolha


Valores em Causa, já com os 40% de redução do IA:

Toyota Prius  € 28.250  
Honda IMA  € 22.600

Qual a melhor opção?  :[huu]


-----------------------------------------------
V Encontro Informal AJA Sul - dia 27 de Fevereiro

V Encontro Informal AJA Norte - A combinar em Março.