Autor Tópico: Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real  (Lida 4985 vezes)

Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9007
    • Ver Perfil
Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real
« em: 11 de Dezembro de 2003, 21:42 »
O Circuito de Vila Real:



PORTUGAL



VILA REAL (P)



Type: Road Course
Length: 7.2km
Location: Vila Real, 80 km East of Porto, Northern Portugal
Used: 1931 - ?

"Início

Desde que em 1902 apareceu o primeiro carro em Vila Real, os vilarealenses mostraram logo o seu interesse pelos automóveis. Já nos anos 20 se realizaram concursos de automóveis por ocasião das Festas da Cidade, os primeiros foram em 1926 e 1927 no Campo do Grupo Desportivo de Salvação Pública.

Mas 1930 foi o ano em que se tiveram de tomar as grandes decisões relativamente ao futuro Circuito de Vila Real.

O fundador do Circuito foi Aureliano de Almeida Barrigas mas com apoio de outras pessoas como: Luís Taboada, representante Ford, delegado do Automóvel Clube de Portugal e vereador da Câmara Municipal de Vila Real; Manuel Lopes Barrigas, pai de Aureliano que foi ainda "mais entusiasta e mais louco" do que o seu próprio filho; Dr. Emídio Roque da Silveira que era o presidente da Câmara.

Para ajudar a criar o Circuito foi lançado em Vila Real um imposto de $40 em cada quilo de carne ao qual todas as pessoas aderiram de bom grado. 1931 marca o início do Circuito pois é nas festas da Cidade, no dia 15 de Junho, que se deu as primeiras corridas do Circuito de Vila Real. Para assegurar a continuidade do Circuito é criada uma Direcção, da qual fazem parte pessoas com muito poder e conhecimento no mundo automóvel.





Financiamento do Circuito:

Fundar o circuito de Vila Real não foi fácil, pois era um projecto novo logo era preciso ter muita ajuda, principalmente financeira, para concluir esse projecto.

Foi por parte da Câmara Municipal de Vila Real, do Automóvel Clube de Portugal, da Comissão de Turismo da Serra do Marão e dos comerciantes que o Circuito recebeu maior apoio económico. O dinheiro dos bilhetes para se assistir as corridas também ajudava nas despesas. Todo este dinheiro tinha muita serventia: era para pagar aos corredores estrangeiros, para os prémios dos vencedores, também servia para pagar as obras que eram necessárias fazer no Circuito e também era para comprar todo o material necessário para a segurança dos espectadores e dos pilotos.



Apoio Técnico:

Além das dificuldades económicas também surgiram dificuldades técnicas, nesta Área o apoio era dado pelo Automóvel Clube de Portugal. Antes do inicio das corridas os carros tinham de fazer testes no Jardim da Carreira para segurança do carro e do piloto, depois de concluídos os testes eram colocados os selos nos vidros dos carros e estes desciam para a Avenida Almeida para dar início as corridas.



A segurança também era muito importante e era da responsabilidade dos Fiscais e dos Bombeiros



Evolução do Circuito:

O traçado do Circuito foi durante muito tempo o seguinte: A partida era feita da Avenida Almeida Lucena, seguia para o Entroncamento da Timpeira, Mateus, Estação de Caminho-de-Ferro, Ponte, Rua Miguel Bombarda, Rua Cândido Reis e travessa Cândido Reis, e voltava-se outra vez à Avenida Almeida Lucena, este percurso de 7,150 metros era feito por 20 vezes num tempo máximo de 3.30 h.



Este percurso manteve-se até 1950, ano em que iniciam as obras do alargamento da Ponte Metálica, logo os carros tinham de fazer a travessia do Rio Corgo pela Ponte de Sta. Margarida. Com a construção da Avenida Marginal, também houve algumas alterações, a curva passou a fazer-se a seguir à ponte.

Entretanto e devido à evolução dos carros e à exigência de mais segurança foram criadas Gincanas na recta da Araucária e à entrada da Ponte Metálica.

Já nos anos 80, com a construção da VIC, o troço desde a meta até à Timpeira desapareceu e a meta passou a ser em Abambres.



Os anos 60 e 70 foram os anos de ouro do circuito. Em 1969 tem lugar uma grande prova, que reúne corredores nacionais e estrangeiros, que foi "6 Horas de Vila Real" que se realizou nos dias 5 e 6 de Julho. Outra grande prova que marcou o inicio dos anos 70 foi "500 Km" que teve lugar nos dias 4 e 5 de Junho.

Durante a segunda guerra Mundial até 1949 o Circuito foi encerrado por alguns tempos, mas o que marca o inicio do declínio do Circuito é o 25 de Abril de 1974. Devido às dificuldades económicas à subida da gasolina. A última corrida que se realizou no Circuito de Vila Real foi em 1989, tendo ocorrido um grande acidente na Araucária que provocou a morte de uma pessoa.





Entrevista ao subchefe dos
Bombeiros Voluntários da Cruz Verde

P: Há quem diga que o Circuito esteve dividido em dois tempos. Pode-se fazer esta afirmação?

R: Sim, pode-se fazer essa afirmação pois do inicio do Circuito até aos anos 40 havia uma Direcção, os elementos dessa Direcção eram eleitos pelas pessoas. Enquanto que por volta dos anos 40 para a frente passou a haver uma Comissão Permanente que como se pode ver pelo nome era constituída sempre pelas mesmas pessoas só em caso de doença ou de morte é que se escolhiam outras pessoas. Apesar desta diferença as corridas eram organizadas sempre da mesma maneira.

P: Quem foi o melhor corredor estrangeiro? E português?

R: Nas corridas participaram muitos corredores estrangeiros, muitos deles bons corredores como Terrain Moss, John Miles, Vic Elford, David Piper e muitos outro é difícil dizer quem foi o melhor. O melhor corredor português foi sem duvida Vasco Sameiro, que ainda esta vivo e que é natural de Braga.



P: A partida era na Avenida Almeida Lucena e fazia-se de uma forma diferente. Como?

R: A partida até era engraçada. Os carros estavam em frente a tribuna, do outro lado da rua já com os motores ligados, enquanto que os pilotos estavam do outro lado da estrada e quando a bandeira de partida, normalmente com o emblema do Clube ou da cidade, dava o sinal de partida os pilotos corriam para os carros e "metiam-se" a estrada.



P: Havia segurança durante as corridas para os pilotos e para as pessoas que estavam a assistir?

R: Naquela altura a segurança não era muita, mas fazia-se os possíveis para evitar acidentes. Haviam os Fiscais de Pista que por vezes faziam parte do ACP, estes estavam "distribuídos" pela pista a uma distancia uns dos outros de maneira que se podessem ver, pois no caso de haver um acidente durante a prova e fosse necessário parar a prova, os Fiscais de Pista é que tinham de levantar a bandeira que correspondesse a situação de modo a que os pilotos compreendessem a mensagem e parassem o mais rápido possível. No caso de haver um acidente com feridos ou até mortos também haviam enfermeiros que eram destacados do Hospital ao longo da pista e uma ou duas Ambulâncias.



Os Bombeiros tinham um papel importante nas corridas. Durante muitos anos eram só os Bombeiros da Cruz Verde que estavam dispersos pela pista para agirem no caso de acidentes ou até incêndios. Mas como o número de espectadores aumentavam e a segurança era menor e como já haviam os Bombeiros da Cruz Branca o Circuito foi como dividido a meio: a parte que ia da meta até a escola de Abambres pertencia aos Bombeiros da Cruz Verde o resto do Circuito pertencia á Cruz Branca.

       P: Qual foi o maior acidente?

R: Houve acidentes grandes, mas sem mortes nem feridos como um que houve na recta da Quinta das Frutas que envolveu muitos carros até deitaram postes da electricidade abaixo mas não houve mortes. Para mim o maior acidente da história do Circuito foi o que se deu no Bairro da Araucária que provocou uma morte e que teve influência no encerramento das corridas pois aí verificou-se que a segurança era pouca, mas também por culpa das pessoas pois parece que elas querem "ver" com as mãos e não com os olhos.



       P: Quando foram os anos de ouro do Circuito?

R: Eu acho que os anos de ouro do Circuito foram sem dúvida 1969, quando se realizou uma grande prova que foi " 6 Horas de Vila Real " e 1970 ano em que houve outra grande prova " 500 Km ". apesar das corridas reunirem pessoas de todos os lados estes lados foram diferentes, a festa era maior e os pilotos eram mais conhecidos.

Mas foi também por esta altura que Vila Real assistiu a umas corridas diferentes, os protótipos, eram corridas com carros com potências parecidas com os actuais carros de Formula 1, era espectacular ver aquilo.



P: Os pilotos gostavam de participar nas corridas do Circuito de Vila Real?  

R: Sem dúvida, eu próprio ouvi muitas vezes corredores portugueses, (os estrangeiros não sei porque não percebia o que eles diziam mas com certeza diziam o mesmo) a dizer que gostavam muito de vir cá para correr no Circuito pois cada curva apresentava uma paisagem diferente. As pessoas diziam mesmo que Vila Real era a capital do Automobilismo, até porque as corridas de Vila Real eram uma semana antes das de Lisboa, logo os lisboetas vinham a Vila Real ver as corridas para levarem alguns estrangeiros para as corridas deles.

P: Havia muita despesa nas corridas. De onde vinha o dinheiro?

R: Sim, havia muitas despesas. o dinheiro ou nos era dado, mais no inicio, pela Câmara ou pelo ACP, outro vinha dos patrocínios que colocavam a sua propaganda a volta do Circuito mas a maioria era dos bilhetes. Quem quisesse ver as corridas tinha de pagar o bilhete, neste área havia muito rigor, pois a entrada da cidade eram colocadas barreiras para quem quisesse entrar com o carro ter de pagar, havia duas maneira: quem fosse para dentro da cidade mas não para ver as corridas só o carro é que pagava bilhete. Mas por exemplo quem quisesse ir para o Porto tinha que passar pelo meio da cidade, logo era entregue um bilhete ao condutor que provava que ele tinha dado o dinheiro. Algum dinheiro também vinha daqui porque se condutor fosse mesmo para o Porto tinha que passar por outra barreira que estava em Parada de Cunhos onde ele voltava a receber o dinheiro se apresentasse o bilhete que lhe tinham dado no outro lado da cidade.



Também se faziam as Gincanas, que eram como jogos de perícia, em recintos fechados para se poder cobrar bilhetes.

P: Quando é que o Circuito começou a entrar em declínio?

R: Foi quando se deu o 25 de Abril em 74, sem dúvida, nesta altura já não havia respeito entre as pessoas, depois também a crise política e umas coisas atrás das outras levou ao fim do Circuito. Depois desta data ninguém pagava os bilhetes pois já não havia quem os obrigasse.



Dina, nº5
Manuela, nº15
Márcia, nº16
Sandra, nº20
Alunas do 9ºE"

in www.eb23-diogo-cao.rcts.pt/Trabalhos/9ano/corridas/circuito.htm#financ

The older I get, the faster I was...

Edited by: nunoturbo at: 11/12/03 15:59
Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9007
    • Ver Perfil
Re: Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real
« Responder #1 em: 11 de Dezembro de 2003, 22:00 »
6° CIRCUITO INTERNACIONAL DE VILA REAL
VILA REAL (P), 25 JULY 1937 FORMULA LIBRE
30 laps x 7.2 km = 216 km, 9 starters

Again the race was held in two parts. The sports-car race was held on 26 June 1937 and was won by Portuguese Casimiro de Oliveira with a Jaguar SS100. The Formula Libre race was held on 25 July 1937, over the usual 30 laps and contested by nine competitors, six local drivers, two Britons and Benedito Lopes (Alfa Romeo Monza) from Brazil - possibly the first Brazilian to race in Europe. Powys-Lybbe started from pole position but again Vasco Sameiro won [/u][/i], just like in 1936.
Grid:


Powes-Lybbe      Rayson           Sameiro
Alfa Romeo       Maserati          Alfa Romeo

Monte Real       Ribeiro Ferreira  de Oliveira
Bugatti          Bugatti           Ford

Ribas            Lopes             Lehrfeld
Ford             Alfa Romeo        Bugatti
 


  1 Sameiro          (Alfa Romeo Monza 2.6L) 108.081 km/h
  2 Powys-Lybbe      (Alfa Romeo Monza 2.3L) 107.958 km/h
  3 B Lopes          (Alfa Romeo Monza 2.3L) 107.317 km/h
  4 M de Oliveira    (Ford V8 Especial)
  5 Monte Real       (Bugatti T35C)
  6 Lehrfeld         (Bugatti T35B)
DNF Ribas            (Ford V8 Especial)              halfshaft
DNF Rayson           (Maserati 4CM)          11 laps
DNF Ribeiro Ferreira (Bugatti T51)                   crash

Fastest lap: Sameiro (Alfa Romeo) 110 km/h

The older I get, the faster I was...

Edited by: nunoturbo at: 11/12/03 16:03
Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9007
    • Ver Perfil
Re: Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real
« Responder #2 em: 11 de Dezembro de 2003, 23:05 »


VILA REAL

La primera de las dos ocasiones se presentó en el circuito de Vila Real (competencia del campeonato portugués) en que con el Porsche 917 número 14 finalizó 2º (Pole position y vuelta mas rápida) tras el Porsche 908-A de Jorge de Bragation.

Del libro "Mário de Araujo Cabral" del periodista portugués Adelino Dinis, fueron extraídas las dos fotos siguientes.  

En la foto de la izquierda puede verse la partida, con Cabral (Porsche917), Jorge de Bragation (908)  y John Bamford (Chevron B-19). En la 2ª linea se puede ver Ferrari 512M de R.Herzog. Mientras Cabral lideraba la competencia se encendió el aviso de falta de presión de aceite, lo que hizo que inmediatamente entrara en boxes. Pero era solamente un falso contacto eléctrico, y por lo tanto Mario volvió a la carrera, ya retrasado. Se lanzó al ataque e hizo el récord de vuelta pero solo le alcanzó para finalizar en segundo lugar detrás de Jorge de Bragation.
La Ferrari 512M de Herzog que sigue cerca al 917 de Cabral, es el mismo coche de Herbert Muller con que Pedro Rodriguez tuvo su accidente en Norisring, una semana después de Vila Real.

En la foto de la derecha, puede verse al Porsche 917K #14  M.Cabral en la"Curva da Salsicharia" mientras lideraba la competencia.

The older I get, the faster I was...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9007
    • Ver Perfil
Re: Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real
« Responder #3 em: 11 de Dezembro de 2003, 23:11 »
Street track, used from 1931 to 1974 and from 1979 to 1989. Original track was from Avenida Almeida Lucena, Entroncamento da Timpeira, Mateus, Estação de Caminho-de-Ferro, Ponte, Rua Miguel Bombarda, Rua Cândido Reis e travessa Cândido Reis, and back to Avenida Almeida Lucena. Due to works to Ponte (bridge) Metálica, in 1950 track was changed, using Ponte (bridge) S.ta Margarida and travessia do Rio Corgo. After Avenida Marginal construction, bend after the bridge was changed a little. After chicanes were added on Araucaria straight and before Ponte Metálica. In 1980s the part from start line to Timpeira was abandoned and new start line was in Abambres (aproximated map)

The older I get, the faster I was...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3

Offline nunoturbo

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 9007
    • Ver Perfil
Re: Circuitos emblemáticos em Portugal - Vila Real
« Responder #4 em: 11 de Dezembro de 2003, 23:35 »
CIRCUITS: PORTUGAL
Name: Portugal
The first racing of note in Portugal took place in 1931 on the Vila Real circuit, inland from Oporto in the north of the country in the wine-growing region. This was a remarkable 4.3-mile road track with narrow bridges, level crossings, lamp posts and trees. The event was revived after the war and hosted major international sports car races in the 1950s and Formula 3 in the 1960s. It became far too dangerous and international racing turned its back on Vila Real in 1974, although the circuit was still used for the national touring car championship until well into the 1990s. A less dramatic but similar road circuit also existed for many years at Vila da Conde to the north of Oporto where the race ran through the streets and along the front at the seaside resort.

Oporto was the venue of the first Portuguese Grand Prix in 1950. This was a sportscar event with a track which was laid out through the town and included sections of cobbled street and even tramlines. It was a hazardous place and there were a number of major accidents. The circuit hosted World Championship F1 races in 1958 and 1960. The first was won by Stirling Moss in his Vanwall and the second was a Cooper 1-2 which guaranteed Jack Brabham victory in the World Championship. Bruce McLaren came second.

The 1959 Portuguese Grand Prix was held on a track which was laid out in Lisbon's Monsanto Park. It was won by Moss. Brabham was fortunate to emerge unscathed when he spun trying to avoid the twice-lapped local driver Mario Cabral and hit a telegraph pole. Brabham was thrown out and landed in the middle of the road and was narrowly missed by Masten Gregory when he arrived on the scene.

After 1960, the F1 World Championship did not return to Portugal until the 1984 GP, held at Estoril.
www.grandprix.com/gpe/cir-061.html

The older I get, the faster I was...

Membro do AJA desde 2003
Sócio Fundador n.º3