Autor Tópico: HONDA - Prelude 3º geração ( 1988 - 1991 )  (Lida 2115 vezes)

Offline apeado

  • Classificados
  • *
  • Mensagens: 99
  • Liked: 0
    • Ver Perfil
HONDA - Prelude 3º geração ( 1988 - 1991 )
« em: 23 de Fevereiro de 2016, 17:14 »
Em Abril de 1987, surge o Honda Prelude 3º geração lançado no mercado doméstico japonês e lançado no resto do mundo em 1988 ( Europa : 1988 – 1991). Com um estilo similar de seu antecessor,  ele compartilhou sugestões do projecto do Honda NSX que seriam introduzidos mais tarde em 1989. ( alcunhado por alguns de “NSX Baby” ). O Prelude destacou-se com características inovadoras para a época, como um coeficiente de 0,34 arrasto, pilares de tejadilho feitos de metais de alta resistência o que permitia serem muitos estreitos dando aos seus passageiros uma visão de 326º para o exterior. A linha do capot foi projectada para ser a linha mais baixa da frente do carro, permitindo assim uma melhor visibilidade para a estrada . Por esse motivo o motor foi montado com uma inclinação de 18º para permitir esse feito. A opção disponível de 4 rodas direccionais totalmente mecânica foi a inovação em carros de passageiros de produção em massa.
Em 1987, Road & Track realizaram um teste de slalon onde foi constactado que o Honda Prelude 2.0Si 4WS bateu todos os carros desse ano, incluindo Lamborghinis, Ferraris, e Porsches. O Prelude atravessou o slalom em 65.5 mph, um resultado surpreendente para a altura. Para a referência, o Corvette 1988 fêz o mesmo percurso a 64.9 mph.



Algumas características de referência para a época:
- Direcção assistida progressiva
- Vidros eléctricos.
- Fecho central.
- Travões de disco às 4 rodas
- Suspensão de triângulos duplos  nos 2 eixos.
- Ar condicionado – opção.
- ALB ( vulgo ABS ) – opção.
- “Cruise Control” – opção.
- 4WS : 4 rodas direccionais – opção.


Em 1990, sofre um pequeno  “restyling”, principalmente ao nível de carroçaria, pouco  perceptível aos mais distraídos. Novos pára-choques e luzes de mudança de direcção, ficando com uma frente muito semelhante ao Ferrari Testarossa.

Nessa altura surgiu um novo motor B21A1 disponível em alguns modelos, no entanto este motor sofreria de “má reputação” pois o revestimento dos seus cilindros era extremamente forte, o que causava um desgaste prematuro dos segmentos, fazendo o motor consumir bastante óleo.
 O Prelude de 3º geração foi exclusivamente alimentado por variantes do motor Honda B20A, a versão base carburado com 12 válvulas SOHC, ou uma variante DOHC com PGM-FI de injecção de combustível e 16 válvulas ( usada na altura pelas motas Honda ).
A sua transmissão era composta por 4 velocidades automáticas ou 5 velocidades manuais.

Motorizações:
B20A/B20A1 - 2.0L DOHC PGM-FI 143/160 PS (Japan/Europe)
B20A3 - 2.0L SOHC 12v carb 104 hp North America
B20A4 - 2.0L SOHC 12v carb 114 PS (84 kW)Global, except North America
B20A5 - 2.0L DOHC PGM-FI 135 hp (101 kW) North America
B20A6 - 2.0L DOHC PGM-FI 142 PS (104 kW) Oceania
B20A7 - 2.0L DOHC PGM-FI 150 PS (110 kW) Europe
B20A8 - 2.0L DOHC PGM-FI 133 PS (98 kW) Europe
B20A9 - 2.0L DOHC PGM-FI 140 PS (103 kW) Europe
B21A - 2.1L DOHC PGM-FI 145 PS (107 kW) Japan (SI States)
B21A1 - 2.1L DOHC PGM-FI 140 hp (104 kW) North America

Versões especiais.
Versão INX, com algumas revisões a nível de interior, mas destacando-se principalmente por ter faróis fixos e airbags.
Versão SiStates, exclusivo do mercado doméstico japonês, no qual se destaca um motor exclusivo, o B21A e um diferencial de deslizamento limitado. A produção foi muito limitada, o que torna este modelo muito raro.

No entanto o mais curioso deste modelo é as suas 4 rodas direccionais ( 4WS ) com sistema totalmente mecânico  e inteligente.
Quando se vira um pouco a direcção as rodas traseiras viram no mesmo sentido que as dianteiras. No entanto quando se vira bastante a direcção, as rodas traseiras viram em sentido oposto às rodas dianteiras, é interpretado como o seu condutor esteja a estacionar ou a manobrar. Isto faz com que em curvas apertadas a sua condução seja um pouco estranha ao inicio, pois por vezes dá a sensação que o carro vira sobre um eixo central.
Este sistema levou 10 anos a ser desenvolvido, como pode testemunhar um artigo muito curioso sobre esta temática.
http://world.honda.com/history/challenge/19874ws/index.html ( Inglês )
Outra característica que me surpreendeu, foi o nível de comodidade da suspensão. Por ser um carro baixo, esperava algo “duro”. Mas nada disso. A suspensão absorve as irregularidades do piso maravilhosamente bem. Muitos carros modernos não conseguem alcançar este nível de qualidade. No entanto quando nos excedemos nas curvas, mostra uma apetência para subviragem.


Biblia do modelo ( Inglês )
http://www.prelude3g.com/

Guia de compra. ( Françês )
http://www.automobile-sportive.com/guide/honda/prelude4ws.php

Filmes
https://youtu.be/0DsqmfOua2w
https://youtu.be/IL6czaUPwUY
https://youtu.be/Qjve6FFRSWI
https://youtu.be/OuI3PTZHz5U
Apesar das suas características técnicas e de ter a sua legião de fans nos Estados Unidos da América e na Europa com predominância em França e Inglaterra, não se verifica um  interesse dos coleccionadores por este modelo. Talvez por ser um FWD ou por ter um motor de tecnologia anterior ao “VTEC” este modelo cai no esquecimento, principalmente em Portugal, onde foram vendidos poucos modelos e onde é difícil de encontrar um modelo em condições originais.

O seu preço está pouco inflacionado o que é uma vantagem para quem o aprecia. É vulgar em USA realizarem "swap", colocando turbo no motor original ou trocando o motor pela série H, pricipalmente o H22.
« Última modificação: 23 de Fevereiro de 2016, 17:53 por apeado »